parellano connect bella

(Este texto é uma entrevista da revista CONNECT, feita por Rosanna Norman a Paola Arellano, com título original: “Entrevista CONNECT: Paola Arellano, diretora executiva da REUNA”). REUNA é a Rede Nacional de Pesquisa e Educação do Chile. Por ocasião das comemorações do 25º aniversário da REUNA, a CONNECT fala com Paola Arellano sobre o papel da rede chilena na rede latinoamericana RedCLARA e na comunidade global de Pesquisa e Educação.

 

 

Olá, Paola! Nos conte um pouco sobre a “vida” em REUNA?

Olá! Hoje, em REUNA, estamos trabalhando em uma grande atualização tecnológica das redes ópticas de alta velocidade para pesquisa e desenvolvimento no Chile. Nosso objetivo é alcançar todas as áreas geográficas do país: do deserto mais seco do mundo, no norte, ao sul, muito perto da Antártica. Essa grande iniciativa está sendo realizada pela equipe profissional, comprometida e com equilíbrio de gênero de REUNA. A partir desse ponto de vista, gosto de pensar que nossa organização é bastante “perturbadora” se considerarmos a prevalência dos papéis de liderança masculina no setor de TIC. De fato, em REUNA, 50% da força de trabalho é composta por mulheres e várias delas ocupam cargos de gerência. Também estou convencida de que a diversidade, assim como o equilíbrio de gênero, desempenha um papel importante no enriquecimento de qualquer organização, trazendo criatividade e variedade, alguns dos valores fundamentais que precisamos para enfrentar a revolução digital.

Acredito que o Chile tem todos os atributos para se tornar uma plataforma de classe mundial para o desenvolvimento científico, e é por isso que em REUNA estamos trabalhando solidamente para garantir que todo pesquisador, professor e aluno do país tenha acesso a condições tecnológicas ideais para permitir que eles colaborem, interajam e, acima de tudo, sejam protagonista de projetos ambiciosos de alcance global.

Em 2019 REUNA completará 25 anos. Quais são os planos para comemorar a data?

Estamos comemorando nosso aniversário desde abril, com o lançamento da segunda fase da nova “Super Rodovia Digital” com a adição de nova fibra ao primeiro segmento lançado em 2018. Atingimos um total de 1.650 km de rede óptica iluminada com canais de 100Gbps que nos permitem um potencial ilimitado de crescimento, cobrindo uma distância equivalente à metade do comprimento do Chile, atingindo um total de 8.500 km de extensão de rede em todo o país. Isso faz de REUNA uma líder na América Latina no que tange à conectividade de alta qualidade para pesquisa e educação.
Realizamos uma cerimônia privada na casa de REUNA e pretendemos encerrar este ciclo de comemorações com o evento da Assembléia Geral de Parceiros, que será realizado no final do ano na bela cidade de Valdivia, no sul do Chile.

Em nível de infraestrutura, queremos comemorar o início do próximo quarto de século com a expansão de nossa nova rede óptica para Antofagasta, no norte, onde estão localizados o principal equipamento do Observatório Europeu do Sul (ESO) e o radiotelescópio ALMA.

Mais informações sobre nossas comemorações estão na edição especial da nossa revista em: https://www.reuna.cl/publicaciones/

O que significa para REUNA fazer parte da RedCLARA e, consequentemente, da comunidade global de pesquisa e desenvolvimento?

Em 2004, por meio de uma iniciativa conjunta com os países da América Latina e a Comissão Européia, participamos ativamente da criação da rede latino-americana RedCLARA, e o Chile foi o primeiro país a se conectar a essa nova infraestrutura digital regional.

Esse esforço regional não apenas representa uma conquista nas comunicações, mas é um marco fundamental na colaboração entre os países da região e o resto do mundo. E não é por acaso que a América Latina tem um enorme potencial em pesquisas globais: assuntos como mudanças climáticas, terremotos, biodiversidade e desastres naturais, para citar apenas alguns, fazem de nosso continente um grande laboratório natural.

É fundamental ter pontes digitais para big data que reúnam pesquisadores da mesma região e do mundo. Ainda me lembro das palavras do ex-diretor geral do ESO, Tim de Zeeuw, no lançamento de Evalso, há dez anos: “Nossos observatórios científicos de classe mundial precisam de uma infraestrutura de ponta.” Mario Campolargo, vice-diretor geral de DG Informática da Comissão Européia também afirmou: “É estrategicamente importante que a comunidade de astronomia da Europa tenha o melhor acesso possível aos observatórios do ESO: essa é uma das razões pelas quais a União Européia apoia a implantação de infraestruturas eletrônicas regionais para a ciência na América Latina e conecta GÉANT e outras infraestruturas eletrónicas nos países da UE.”

Hoje, 10 anos depois, estamos em uma nova fase, conectando diretamente dois continentes através do Programa BELLA.

Você pode nos falar um pouco sobre o envolvimento de REUNA no Programa BELLA e seu impacto no Chile?

REUNA está fortemente comprometida com a implementação desta impressionante iniciativa, que visa reduzir o fosso digital, fornecer infraestrutura estratégica para o desenvolvimento e expansão da educação e fortalecer as possibilidades de nossas comunidades realizarem pesquisas excelentes. No nosso caso, isso se dará especialmente em áreas onde o Chile tem uma vantagem comparativa, como a astronomia (em 2025, o Chile abrigará 70% da infraestrutura astronômica do mundo em termos de investimento com o ESO como um dos principais atores), ciências antárticas (o Chile está a apenas 1.000 km da Península Antártica), glaciologia, oceanografia, mudança climática e desastres naturais, para citar apenas alguns.

Nesse contexto, alguns dos objetivos que buscamos com BELLA são: apoiar a criação de nós do projeto Copernicus no Chile, fortalecer a participação de nosso país no projeto CERN ATLAS, promover a instalação de novos telescópios, implantar serviços novos e inovadores, desenvolvidos com uma visão global como o eduroam, abrindo possibilidades de pesquisa sem precedentes para nossos cientistas, independentemente de sua localização geográfica.

Leia esta entrevista de sua fonte original em: https://connect.geant.org/wp-content/uploads/2019/10/connect_33_web.pdf

 

FaLang translation system by Faboba

Agradecimentos

EU flag yellowBELLA recebe financiamento da União Europeia através do programa Horizonte 2020 ao abrigo do contrato de subvenção número 731505 (BELLA-S1), da DG DEVCO ao abrigo do contrato de subvenção LA / 2016 / 376-534 (BELLA-T) e da DG GROW.

 

Contato

Caso você necessite de mais informações, escreva-nos:

Europa: info@geant.org

América Latina: RedCLARA_Comunica@redclara.net